Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017

Gravasom - Equipamentos e Serviços para eventos

Redes Sociais
  • Twitter
  • Facebook
  • LinkedIn
  • Flickr
Área Restrita:

Fechamento do Minascentro abre crise no setor de turismo e eventos de BH

” Não há quem não tenha assistido um show ou uma peça de teatro lá; não há quem não tenha um parente ou amigo que tenha se formado lá; não há quem não tenha participado de um congresso lá. Com seus 33 mil metros quadrados de área construída, o belo e imponente prédio em estilo neoclássico da avenida Augusto de Lima em frente ao Mercado Central é uma referência para Belo Horizonte. Não há quem não conheça o Minascentro.

A edificação nasceu como uma escola, o Ginásio Mineiro; em seguida, abrigou a Escola de Aperfeiçoamento pedagoga Helena Antipoff e, de 1948 e 1984, a Secretaria de Saúde. Seu auditório era famoso. Foi de lá que o então governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola, pouco antes do golpe de 64, foi expulso por seus adversários políticos, no episódio que ficou conhecido como “a noite das cadeiradas”. Nos anos de 1980, o auditório da Secretaria de Saúde, por seu porte, foi palco de assembleias em que se decidiram greves históricas, como a dos professores, de 1979.

Em 1984, o prédio foi reformado e transformado em um centro de convenções – o Centro de Convenções Israel Pinheiro da Silva, conhecido popularmente como Minascentro. Hoje, 34 anos depois de inaugurado, o Minascentro está no centro de uma polêmica que começou após a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), proprietária do imóvel, anunciar seu fechamento para reforma a partir de 2018. As obras devem começar em outubro e acarretar o cancelamento de diversos eventos que já estavam programados para o local. O fato causou revolta nos empresários do setor de turismo da capital.

A situação gerou uma reunião na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na última sexta-feira (15), para que autoridades pudessem debater o tema. Segundo o diretor da Codemig, Marco Antônio Castello Branco, o Minascentro precisa, urgentemente, de manutenção nas áreas elétrica e hidráulica…”

http://bhaz.com.br/2017/09/21/fechamento-minascentro-preocupa-turismo-eventos/amp/